Hackers invadem mais de 150 mil câmeras de vigilância em todo o mundo

Atualizado: 1 de Jul de 2021

Hackers afirmam ter acessado imagens de mais de 150 mil câmeras de bancos, prisões, escolas e até mesmo de empresas do porte da Tesla, Cloudfare e Equinox.

Segundo a Bloomberg, os sistemas da Verkada, startup de segurança do Vale do Silício, foram violados por um coletivo "hacktivista". O grupo, que se autodenomina Advanced Persistent Threat 69420, encontrou credenciais de login para as contas de "Super Admin" da Verkada online. Eles divulgaram suas descobertas, dizendo que foram motivados por “muita curiosidade, lutando pela liberdade de informação e contra a propriedade intelectual, uma grande dose de anti-capitalismo, uma pitada de anarquismo - e também porque é muito divertido.”


SAIBA MAIS: NSA defende adoção de um modelo de segurança Zero Trust


Funcionários da Verkada, que preferem se manter anônimos, dizem que essas mesmas contas de “superadministrador” que os hackers acessaram, também foram amplamente compartilhadas dentro da própria empresa. Mais de 100 funcionários tinham privilégios de superadministrador, relata a Bloomberg, o que significa que esses indivíduos podiam acessar transmissões ao vivo de dezenas de milhares de câmeras em todo o mundo a qualquer momento. Veja o que um ex-funcionário sênior disse:

Tínhamos literalmente estagiários de 20 anos que tinham acesso a mais de 100.000 câmeras e podiam ver todos os feeds globalmente.