Brasil discute criação de Estratégia Nacional de Combate ao Crime Cibernético

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e o Ministério da Justiça e Segurança Pública discutiram a criação de estratégias para combater os crimes cibernéticos no país na última sexta-feira (10/09).



LEIA TAMBÉM: Brasil terá maior exercício de defesa cibernética do hemisfério sul


O presidente da Febraban, Isaac Sidney, e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, iniciaram as conversas para criação da Estratégia Nacional de Combate ao Crime Cibernético. Conforme o comunicado, a ideia do novo fórum é seguir os moldes da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA), criada em 2003.


Segundo a Febraban, os bancos identificaram e evitaram fraudes eletrônicas que poderiam gerar um prejuízo de R$ 8 bilhões em 2021, o dobro do registrado em 2020. Sobre o assunto, Isaac Sidney afirma: